O queijo e o vinho são dois produtos bastante semelhantes, desde a sua origem até aos dias de hoje. Acredita-se que ambos tiveram origem no campo, tornando-se, aos poucos, dois produtos muito apreciados por todo o mundo.

As diversas variações existentes de queijo e de vinho permitem que estes produtos sejam adequados a praticamente todo o tipo de ocasiões. No entanto, é importante ter em consideração as características próprias de cada um deles – seja o sabor ou a textura – para que se consigam encontrar as combinações perfeitas.

Por essa razão, combinar queijo e vinho não é uma tarefa fácil. É preciso encontrar o vinho que realce melhor o sabor do próprio queijo. Siga as nossas dicas para preparar um petisco harmonioso e que agrade a todos!

Os queijos frescos são suaves e apresentam um elevado teor de humidade. Desta forma, dada a sua leveza, é aconselhável que os queijos frescos sejam acompanhados por vinhos brancos refrescantes, suaves e igualmente leves.

Em relação aos queijos curados, existe uma variedade de vinhos que podem combinar com o seu paladar. Pode servi-los com vinhos tintos, vinhos brancos (especialmente os antigos), espumantes ou até rosés. Tudo depende do seu gosto.

Tal como os queijos frescos, também os requeijões devem ser acompanhados por vinhos frescos e leves.

O mais importante é ter sempre em atenção a rigidez, a textura e a intensidade do sabor dos queijos. Os queijos com texturas mais duras pedem vinhos mais pesados e intensos, como por exemplo os tintos com maior tanino. Já os queijos mais moles assentam melhor com um vinho leve e suave.